O maior portal idependente da raça quarto de milha no Brasil

O feno é obtido mediante a exposição ao sol e ao ar da planta cortada, que sofre dessecação lenta e parcial, de modo que a sua taxa de umidade, originalmente de 60 a 85%, seja reduzida para teores entre 10 e 20%, com perda mínima de nutrientes, maciez, cor e sabor.

O bom feno é palatável, nutritivo e ótima fonte de vitaminas A e D. Em virtude da sua concentração, um quilo de feno pode substituir três quilos de silagem de milho ou sorgo ou de forragem verde.

Todavia, o valor do feno varia sob a influência de diversos fatores, principalmente a espécie e a idade da forrageira utilizada e da perfeição do seu manuseio e armazenamento, que envolvem o corte, a secagem, o transporte e pormenores relativos às medas, fardos e depósitos. A qualidade de um feno depende de sua composição química, palatabilidade e digestibilidade, que por sua vez estão na dependência de diversos fatores, principalmente os seguintes: espécie botânica da planta, estágio de desenvolvimento, proporção de folhas, coloração verde, alterações causadas por mofos, bolores e insetos, presença de material estranho e perdas sofridas durante a preparação.

A fase de maturação no momento do corte tem grande influência sobre o feno quanto ao rendimento por unidade de área, valor nutritivo, palatabilidade, digestibilidade, proporção de folhas, coloração e teores de proteína, fibra e elementos minerais. A planta nova produz feno mais rico em proteína e minerais, porém mais pobre em fibras, sendo mais palatável e digestível. O rendimento é tanto menor e a qualidade é melhor, quanto mais nova é a planta.

As folhas são muito mais palatáveis, digestíveis e ricas em nutrientes que as hastes. Assim sendo, todos os cuidados que diminuem as perdas de folhas durante a preparação e o armazenamento do feno são vantajosas. A cor verde, mais intensa na planta nova e no feno bem preparado, é altamente desejável porque indica a riqueza em caroteno, que tem fundamental importância na nutrição.

A presença de mofos e bolores diminui a palatabilidade e o valor nutritivo do feno, além de ser perigosa para a saúde dos animais. Por sua vez, o ataque de insetos prejudica a qualidade do alimento, porque em geral afeta a proporção de folhas, a coloração a palatabilidade e o valor nutritivo.

Se os aspectos negativos são devidamente controlados, o produtor poderá ter no uso do feno uma rica e relativamente barata fonte de nutrientes essenciais para os animais. Contudo, é bom lembrar que, dependendo do estado fisiológico e do nível de produção do animal, provavelmente uma suplementação com concentrados seja necessária, principalmente durante o terço final da gestação e durante a lactação. Finalmente, não se deve esquecer que uma ração perfeitamente equilibrada, para produzir o máximo resultado, depende da influência exercida sobre os animais por diversos fatores em conjunto, principalmente as condições ambientais, a capacidade genética, o estado sanitário e o manejo do rebanho.

 

  • Alimento de elevado valor nutricional, com altas concentrações de proteína e energia.
  • Rico em fibras longas, que favorecem o desenvolvimento ruminal, aumentam o consumo de matéria seca e diminuem o índice de afecções do sistema digestivo.
  • Elevado coeficiente de digestibilidade de proteínas e carboidratos, proporcionando o pleno desenvolvimento do potencial genético do seu animal.
  • Fardos de alta densidade, o que diminui o preço do frete por kg de feno
  • Isento de plantas daninhas
  • Alta relação folha/haste
  • Desidratação rápida mantendo a qualidade do produto original
  • Terreno regular, diminuindo a contaminação por terra
  • Ótimas condições de armazenado, sem excesso de umidade e bem protegido, evitando perdas por fermentação e excesso de temperatura.

.